DIdi Krepinsk

Reserve Aqui 17/07/2019

O segundo porto no nosso itinerário do cruzeiro foi Kanazawa, na ilha de Honshu. Eu resolvi escrever um post separado para essa cidade, pois fizemos muitas coisas e tem muita coisa para falar e mostrar! Eu amei Kanazawa e recomendo super incluir no seu roteiro. Alguns anos atrás isso seria um problema porque o acesso era difícil, mas desde 2015 existe um shinkansen (trem bala) que leva você de Tóquio à Kanazawa em apenas 2h30, então vale a pena. Você consegue ver tudo em um dia, assim como fizemos, mas o ideal seria dormir uma noite para não ficar tão cansativo.

Kanazawa foi a antiga capital do país na era feudal e, por isso, foi uma cidade que, em seu age, rivalizava com Kyoto em suas contribuições para as artes. Como condizente com sua localização perto do Mar do Japão, Kanazawa é conhecida por ótimos frutos do mar e é o berço do sushi de esteira! Também é conhecida por sua duradoura tradição artesanal e pelo jardim Kenroku-en, um dos mais bonitos e mais famosos do Japão. Assim como Kyoto, Kanazawa é um excelente lugar para comprar artesanato tradicional, como laca e decoração folhada a ouro. Kanazawa também é conhecida como “Samurai City”, mas eu vou falar mais disso adiante. Com 467 mil habitantes, Kanazawa é a maior cidade da Prefeitura de Ishikawa. Apenas para entender, diferente do Brasil, uma prefeitura no Japão se assemelha mais à um Estado, que engloba diferentes cidades e vilas. São como regiões. O país todo é dividido em 47 prefeituras/regiões.

Em todos os portos, o navio oferecia diferentes atividades e excursões. Em Kanazawa ofereceram três passeios diferentes, mas eu particularmente não gostei de nenhum deles, porque eu já sabia exatamente o que eu queria ver e nenhum desses cobria tudo! Então resolvemos contratar uma guia particular com motorista para ficar conosco durante o dia e fazer tudo que a gente queria. Foi a melhor escolha! O motorista nos buscou no porto, na saída do navio e nos levou até a estação de trem aonde encontramos a Yuki, nossa guia, super simpática por sinal.  Começamos nosso tour Kanazawa Castle Park. Além de tudo já mencionado acima, Kanazawa também é conhecida como uma das cidades castelo do Japão, então começamos por lá para entender melhor como a cidade funcionava antigamente, pois ela foi toda construída em torno do castelo. O legal é que Kanazawa não foi atacada durante a guerra, diferente de outros lugares no Japão, então a cidade segue intacta, por isso ainda é possível ver muito da cultura Samurai que imperava nessa parte do país e predominou no país por tantos anos. Na cultura Samurai tudo é mais simples e mais rústico do que na cultura aristocrata que você encontra em Kyoto, por exemplo.

De 1583 até o final do Período Edo, o Castelo de Kanazawa foi a sede do poderoso Clã Maeda, senhores de Kaga, um domínio feudal que perde apenas para as posses Tokugawa em termos de tamanho e riqueza.  O senhor feudal de Kanazawa foi o segundo samurai mais importante do Japão durante o período Edo! Ele era tão poderoso que até o Shogun tinha medo dele. No entanto, ele não tinha intenção nenhuma de desafiá-lo, e para provar isso, ele queria mostrar como ele gastava o dinheiro dele, fazendo isso através da construção de castelos e jardins, ao invés de um exército. Ele encorajava as artes e com isso, até hoje, é possível encontrar os 35 tipos de artesanato tradicionais japoneses em Kanazawa. Por isso a cidade é tão rica culturalmente. Apenas para fins de contexto, o Período Edo foi o último período de Samurai no Japão. Depois disso eles perderam o poder e os empregos, então acabaram desaparecendo. Depois disso veio o Meiji Restoration e a modernização do Japão. Uma dica que vou dar é leitura! Eu senti muita falta de ter estudado um pouco sobre a história do Japão antes da viagem e por isso recomendaria. É importante saber os diferentes períodos para entender melhor as explicações dos guias durante a viagem. Esse negócio de Samurai, Shogun e Imperador me deixou extremamente confusa no começo! Depois que entendi tudo fez mais sentido! Então para ajudar quem está com viagem marcada, o Shogun é o chefe de todos os Samurais. Esse título é dado para ele pelo Imperador. O Imperador sempre existiu (até hoje) – ele é o aristocrata. O Shogun também era um Samurai.

Depois de visitar o parque do castelo (não entramos, vimos apenas por fora), seguimos para o Kenroku-en Garden. Este jardim está entre os três mais bonitos do Japão e também é um dos mais famosos. Os terrenos espaçosos costumavam ser o jardim exterior do Castelo de Kanazawa e foram construídos pela família governante Maeda durante um período de quase dois séculos. Aberto ao público em 1871, o Kenroku-en apresenta uma variedade de árvores floridas que proporcionam ao jardim uma aparência diferente para cada estação. O nome Kenroku-en significa literalmente “Jardim das Seis Sublimidades”, referindo-se ao espaço, reclusão, artificialidade, antiguidade, água abundante e vistas amplas, que segundo a teoria da paisagem chinesa são os seis atributos essenciais que compõem um jardim perfeito. Um passeio por Kenroku-en ajudará a entender essa teoria da paisagem, já que os terrenos estão cheios de elementos aquáticos, pontes, casas de chá, árvores, flores, pedras, pontos de vista e recantos escondidos para descobrir. O jardim estava impecável, lindo, maravilhoso! Uma perfeição. As azaleias estavam florescendo – uma perfeição. Fiquei apenas decepcionada de não ver aquelas estruturas grandes em cima das árvores que são uma espécie de cartão postal da cidade, mas descobri depois que eles só colocam essa estrutura no inverno como proteção contra a neve pesada.

A próxima parada foi a Nomura Samurai House, uma casa histórica em Nagamachi, um distrito muito bem preservado a oeste do Castelo de Kanazawa, também conhecido como Samurai Quarter. Nagamachi era antigamente a área onde os samurais de Kanazawa viviam com suas famílias. Hoje, a área parece quase a mesma que na era Edo, com canais e ruas de paralelepípedos que correm entre as paredes cobertas de terra. Nomura Samurai House é uma das principais atrações deste distrito. A casa pertencia aos Nomuras, uma rica família samurai que serviu a família governante Maeda do século 16 até o final do período Edo em meados do século XIX. Essa é a única casa de samurai aberta ao público no distrito de Nagamachi. A residência samurai foi totalmente restaurada e hoje exibe o estilo de vida e os artefatos da época em que os samurais eram prósperos. É bem legal ver como eles moravam. A casa tem um jardim lindo! Eu pessoalmente gosto muito da estética e arquitetura japonesa! Vale a pena visitar.

Depois de visitar a Nomura Samurai House, continuamos passeando pelo Samurai Quarter. As ruas são super calmas, uma paz! Achei o bairro bem simpático. Todas as casas são parecidas com muros amarelos feitos de terra. Existem algumas lojinhas e aproveitamos para entrar e fazer algumas comprinhas – eu e minha mãe não resistimos! Kkk. Entramos primeiro numa loja chamada Kaburaki Shoho, uma loja escondidinha que vende a tradicional cerâmica Kutani. É tudo muito bonito, mas caro! Mais adiante entramos também na loja Hondaya, aonde compramos pratinhos e bowls de laca. É tudo muito lindo – é difícil de escolher e juro que da vontade de sair comprando tudo! Hahaha.

A próxima parada antes do almoço foi o Omicho Ichiba Market! Esse é um mercado tradicional de frutos do mar que existe há 300 anos. Vale a pena dar uma andada por lá para ver. Tem caranguejos vivos por todos os lados – é bizarro! Hahaha. Andando por lá ficou claro que Kanazawa é a terra dos caranguejos e das ostras! Dentro do mercado também tem bastante restaurante de sushi, então também pode ser uma opção de almoço se você quiser.

Até consideramos almoçar no mercado, mas a nossa guia tinha outros planos para a gente! Você sabia que o sushi de esteira foi criado em Kanazawa?! Eu não tinha ideia!! Fomos então almoçar no Sushiro, um restaurante informal de sushi de esteira. Achei demais! Além de sushi, o restaurante também serve diferentes noodles, então agrada a todos, até quem não come frutos do mar! O restaurante ficava um pouco fora de mão, mas valeu a pena! Adoramos! Ficamos impressionados o quão barato foi o almoço! Imagina que 4 pessoas almoçaram um total de 18 pratinhos, fora os refrigerantes, e mesmo assim tudo deu USD 27! Bom né?! É o que eu falei no meu primeiro post do Japão – é possível comer muito bem e muito barato no Japão! Os restaurantes caros são aqueles com estrela Michelin ou menu de degustação!  Eu acabei filmando mais do que fotografando, então se você quiser ver mais sobre esse restaurante (e de tudo que fiz em Kanazawa na verdade kkk), você poder ver os stories no destaque “Kanazawa” no meu Instagram!

Depois do almoço, continuamos nosso tour por Kanazawa. Fomos conhecer a Sakuda Gold & Silver Leaf Co., uma loja especializada em folhas de ouro. Dentro da loja tem um workshop que você pode visitar onde é possível ver as pessoas trabalhando in loco, aplicando as folhas de ouro etc. É bem legal! Você sabia que 99% das folhas de ouro do Japão são produzidas em Kanazawa? O Golden Pavillion em Kyoto é feito inteiramente com folhas de ouro de Kanazawa. Legal né?! A loja também vende um monte de objetos então aproveitamos para comprar aqueles gatinhos da fortuna e algumas máscaras de ouro também. Sobre o gatinho da fortuna tão conhecido, na hora de comprar, é importante prestar atenção em qual mão está levantada, porque elas significam coisas diferentes! Por exemplo, a mão direita levantada é para atrair fortuna e dinheiro, enquanto a esquerda é para dar as boas-vindas para fregueses. Por isso, é muito comum ver o gatinho com a mão esquerda levantada em lojas e restaurantes. Eu comprei com a mão direita levantada, obviamente! Hahaha. O meu gatinho está na minha mesa do escritório! Kkk.

A chaya (“casa de chá”) é um tipo exclusivo de restaurante onde os hóspedes são entretidos por gueixas que cantam e dançam. Durante o período Edo, chayas eram encontrados em distritos de entretenimento designados, geralmente fora dos limites da cidade. Kanazawa tem três distritos de chaya bem preservados, Higashi Chayagai (Distrito de Chaya Oriental), Nishi Chayagai (Distrito de Chaya Ocidental) e Kazuemachi.  Dos três distritos, o distrito de Higashi Chaya é o maior e de longe o mais interessante. Basicamente, esses são os três distritos de gueixas. Fomos conhecer então o Higashi Chaya. O distrito ainda é ativo e é super bonito! Achei até mais bonito que o distrito de gueixas de Kyoto. As casas de madeira têm tons de vermelho dá um toque diferente. Mesmo ainda sendo ativo, hoje existem menos de 100 gueixas morando em Kanazawa. Esse número já chegou a ultrapassar 500 no passado. Para que fique claro, você não encontra gueixas em todos os lugares do Japão! São apenas em alguns como Kyoto, Kanazawa e Tóquio.

Na rua central do bairro, hoje existem também algumas lojas e cafés. Sendo a cidade da folha de ouro, não poderíamos deixar de provar o famoso sorvete com folha de ouro né?! Você vai ver esse sorvete em Kyoto também, mas eu esperei para comer aqui! A loja Hakuichi é famosa pelo sorvete e fica nesse distrito de gueixas. A loja em si é linda, com uma louça mais bonita que a outra, tudo folhado a ouro, mas ela também vende o tal sorvete. Fui direto nele. O sorvete é delicioso e não tem jeito – você acaba ficando com “gold lips”! Hahaha. Pedaços de folha de ouro grudam na boca e não saem por nada! Kkk. Recomendo muito comer esse sorvete! Adorei! Outras lojas que valem a visita nesse bairro são a Kyouka, com lindos chopsticks (compramos claro), e a Morihachi, uma famosa confeitaria que existe desde 1625! Essa confeitaria produzia todos os doces para os senhores feudais.

A penúltima parada do dia foi o 21st Century Contemporary Art Museum. Inaugurado em 2004 no centro de Kanazawa, fica a poucos passos do Kenroku-en Garden, e foi construído por dois arquitetos japoneses chamados Sanaa, que ganharam o prestigiado Pritzker Award. Para se ter uma ideia, essa dupla de arquitetos hoje está envolvida com o Museu do Louvre em Paris, então naturalmente este museu em Kanazawa ficou conhecido pela sua arquitetura. O museu é lindo, todo de vidro e transparente, integrado ao cenário. É muito limpo, com linhas simples. Ele exibe obras de aclamados artistas contemporâneos do Japão e do mundo todo, e está entre os museus de arte mais populares do país. O museu possui bastante espaços públicos, mas a sua área central com exposições temporárias é paga.  Intercaladas entre os espaços públicos do museu estão algumas instalações permanentes abertas ao público. Estes incluem obras como “Piscina” de Leandro Erlich, uma piscina onde as pessoas parecem estar debaixo d’água (entrada dentro da piscina requer entrada paga), e o “Blue Planet Sky”, de James Turrell. Essas duas obras são o grande atrativo do museu na minha opinião. Vale a pena visitar se você estiver com tempo.

Nossa última parada foi o D.T. Suzuki Museum, conhecido também pela sua arquitetura. Fomos a pé, já que ele fica a apenas 10 minutos do outro museu. O D.T. Suzuki Museum foi construído para homenagear o famoso filósofo budista zen. D.T. Suzuki foi um escritor prolífico que foi fundamental na introdução da filosofia zen japonesa no Ocidente. Desenhado pelo arquiteto japonês Taniguchi Yoshio, a arquitetura (fantástica) do museu serve como uma interpretação da vida e da erudição religiosa de D.T. Suzuki – seu uso de linhas simples e limpas e espaços abertos faz com que você faça uma pausa e reflita. É impossível não sentir uma sensação de paz e tranquilidade em todo o museu. Você realmente se sente bem zen. É muito bonito. Apesar de sua pequena área, o museu tem três prédios conectados por corredores construídos em torno de um grande lago plano em seu centro chamado “Water Mirror Garden” (jardim do espelho de água). O espelho de água preto é uma coisa! Lindo, lindo, lindo! Ficamos sentados um tempo contemplando toda a beleza do local! Recomendo muito!

Como vocês podem ver, fizemos MUITA coisa!! Isso não teria sido possível sem uma guia particular e um motorista, então recomendo que façam o mesmo! Caso você esteja com mais tempo, aí vale a pena explorar Kanazawa com mais calma e provavelmente não vai precisar de um carro. Vale lembrar que a cidade não possui nenhum hotel luxuoso cinco estrelas na cidade – é tudo quatro estrelas pra baixo. No entanto, você pode optar por ficar um pouco fora da cidade, na região de Yamanaka Yamashiro, famosa pelas fontes termais, a apenas 40 minutos de carro de Kanazawa. Lá existem ryokans lindíssimos!

Related Posts

Solicitação de reserva

Você optou por receber informações sobre esta viagem

URL:

Voltar