DIdi Krepinsk

Reserve Aqui 21/12/2016

 

DAY 5

Nos meus planos essa manhã estava começar o dia com uma ida à Montmartre para ver o “Mur des Je T’aimes”, ou melhor, o muro dos “Eu Te Amo”! kkk Infelizmente não deu tempo, mas deixo aqui a dica! O muro fica escondido no charmoso bairro boêmio de Montmarte, num pequeno parque na Place des Abesses chamado Square Jehan Rictus, e muitas vezes passando despercebido pelos turistas. Inspirado no amor, ele foi criado em 2000 pelo artista Frédéric Baron e contém as palavras “eu te amo” escritas em 311 línguas, espalhadas em mais de 600 azulejos, cobrindo uma superfície de 400 m²!

 

Mur des Je T'aimes, no Place des Abesses, Paris

 

 

Comecei o dia então visitando a linda e maravilhosa Fondation Louis Vuitton! Bernard Arnault, presidente do grupo de luxo LVMH, é um grande colecionador de arte e inaugurou em XXX o museu futurista Fondation Louis Vuitton, assinado pelo renomado arquiteto canadense-americano Frank Gehry. O prédio, que fica situado nos jardins do Bois de Boulogne, abriga a coleção permanente de Arnault e sedia exposições temporárias de arte contemporânea. Um must! Quando fui estava tendo a incrível exposição “Icônes de L’Art Moderne”- La Collection Chtchoukine. Quem for para Paris em janeiro e fevereiro não pode deixar de ver! A exposição é uma homenagem à um dos maiores patronos de arte do início do Século XX, Serguei Shchukin, um russo visionário que colecionava arte moderna francesa. Você irá ver pela primeira vez 130 obras de arte da sua coleção feitas pelos mestres Impressionistas, Pós-Impressionistas e Modernos, ou seja, só peso pesado como Picasso, Gauguin, Matisse, Cézanne, Monet, entre outros. Minha sala preferida foi “Le Salon Rose“, com os lindos quadros de Henri Matisse, um dos meus artistas prediletos! Mas fica a dica – compre seu ingresso antecipadamente online para garantir uma fila menor. Eu não sabia e gastei quase 40 minutos em fila para poder entrar! Ainda bem que valeu a pena! hahaha

 

Após a fundação, encontrei algumas amigas Sérbias para o almoço no restaurante La Société em Saint Germain. Eu adoro esse restaurante! Ele é bem discreto, praticamente escondido, então é super aconchegante. A comida, como todo bom Costes, é aquela de sempre, mas aqui ela é boa! Pedimos deliciosos “nems” (rolinhos primavera) de entrada, e depois comi uma carne saborosa chamada “Le Tigre Qui Pleure”, acompanhado de batatas fritas incríveis!!

 

 

Passamos o resto da tarde caminhando por St Germain, me aventurando nas pâtisseries e fazendo uma verdadeira degustação de doces! hahaha Ainda bem que se anda MUITO em Paris, então pelo menos saí no zero a zero! kkk Fomos na Pâtisserie des Rêves na Rue du Bac, na loja do Pierre Hermé, no Philippe Gosselin e no Jacques Génin (meu deus hahaha)! Entrei nas lojas de brinquedos Au Nain Bleu, uma das mais famosas do mundo, e Il Était Une Fois, para ver se encontrava algo legal para meus sobrinhos.  Fui também na City-Pharma, parada obrigatória sempre! Farmácia na Europa é TUDO! Essa é uma das melhores de Paris para se comprar cosméticos! Você encontra grandes marcas francesas de beleza com excelentes preços!

Fui passeando em direção ao Bon Marché, passando por ruas fofas cheias de lojinhas interessantes, como a Rue de Grenelle, que tem um quarteirão inteiro dedicado aos designers de sapatos (Sergio Rossi, Louboutin, etc). Terminei o dia na minha loja de departamento preferida de Paris – Le Bon Marché!! A loja foi projetada por Gustave Eiffel (o mesmo da Tour Eiffel) e é super chique! Tudo aqui é legal! A seleção de produtos é bárbara. Agora no final do ano eles montaram algumas lojinhas pop-up dentro da seção de “casa”, uma mais legal que a outra. Dei de cara com uma que fazia customizações em couro. Não pensei duas vezes – comprei um pouch branco e fiz meu pedido de customização que ficou pronto no final do dia seguinte! Eu amei, ficou a minha cara! E fora que é uma peça única que ninguém vai ter igual! 🙂

Outro motivo para amar o Bon Marché chama-se La Grande Épicerie. O “mercado” é de enlouquecer qualquer bom gourmet! Oferece mais de 5 mil selecionados produtos, do mundo todo! O restaurante no primeiro andar é uma delícia e uma excelente opção para o almoço e uma pausa nas compras!

 

Pode parecer estranho mas Paris pra mim combina com comida chinesa!! Eu sempre vou, tem vários restaurantes deliciosos e os franceses adoram! Quando morei em Paris, frequentava semanalmente alguns! O chinês do momento é o Taokan. Vá na unidade recém inaugurada perto da Saint Honoré, na Rue du Mont Thabor. É praticamente vizinho de muro do Kinugawa. Fui jantar com minha amiga e comemos super bem! Pedimos um monte de dim sums, spicy beef avec nouilles, e de sobremesa, nems au chocolat! OMG!  Uma dica – o restaurante não é dos mais badalados então faça uma reserva para mais cedo! Fomos muito tarde e o lugar já estava esvaziando…

 

 

Terminamos a noite no Bar do hotel Plaza Athenée, na Avenue Montaigne. Tomamos um Moscow Mule incrível. Algumas coisas nunca mudam – bem escurinho e com DJ tocando ao vivo, o bar sempre foi e sempre será point!

 

 

‪DAY 6

 

Passei o dia no descolado bairro do Marais! O dia estava lindo, céu azul, então foi perfeito! Comecei no Georges Pomidou com a exposição do Magritte, uma das grandes figuras da Arte Moderna. Impossível não associar René Magritte com o filme The Thomas Crown Affair! O quadro “The Son of Man” visto várias vezes durante o filme, é um dos mais famosos do artista francês. O Pompidou tem vários andares e em cada um, uma mostra diferente. A exposição “La Trahison des Images” do Magritte está em exibição no último andar até dia 23/01/2017. A exposição tem tido bastante procura então tive que enfrentar fila de novo hahaha mas andou rápido – bemmm mais rápido do que a Fondation LV! Ahh – no topo do Pompidou tem o restaurante Georges. Concorridíssimo, tem uma vista incrível da cidade e mesas ao ar livre! É bem gostoso almoçar aqui!

 

A próxima parada foi o belíssimo Musée Picasso que contém o maior acervo de obras do renomado artista Pablo Picasso. A mansão abriga mais de 5 mil obras e outras centenas de peças de arquivos, tornando-se a a coleção de Picasso mais importante do mundo! Achei super interessante! Eu não sabia, por exemplo. que Picasso pintava paisagens! Adorei o quadro de Nice na Riviera Francesa. O museu contém também obras da coleção pessoal do pintor, e  na ocasião, esculturas de Giacometti. Recomendo!

 

 

Almocei no restaurante Trois Fois Plus du Piment. Estava louca para ir nesse micro-restaurante que ganhou o prêmio de melhor noodles do guia Fooding de Paris em 2016. O lugar é super pequeno e o cardápio menor ainda! Basicamente, tudo é picante – eis o nome! Eu provei os szechuan raviolis de entrada e depois os famosos dan dan noodles. O garçom (que mal fala francês ou inglês) tira seu pedido e pergunta o nível de pimenta desejado, de 0 a 5. Ouvi a sugestão do garçom e pedi nível 0,5! kkk Minha boca pegou FOGO!! hahahaha Estava uma delícia mas super apimentado!!! A única coisa que passava pela minha cabeça era: quem pede nível 5 meu deus?! hahaha Não se assuste se tiver uma fila na porta (é normal) porque as mesas giram rápido! Se você gostar de comida picante, tem que ir!

 

 

Após o almoço continuei passeando pelo bairro, vendo lojinhas, etc. Recomendo super as seguintes: L’Éclaireur – famosa multimarcas de roupas, objetos de design e até mobiliário, tudo muito bem selecionado, que acaba de abrir uma filial em Los Angeles; The Broken Arm – nova concept store; e as lojas de óculos Mykita  e Marc Le Bihan Sunglasses. A Rue Vieille du Temple, Rue de Sévigné e Rue des Francs Bourgeois são ótimas para compras.  Na Place des Vosges você encontra várias galerias de arte bacanas. Não deixe de parar no Breizh Café para comer um crepe, é incrível. E sim, também tem fila na porta! hahaha

 

 

No final da tarde fui na loja de departamento queridinha dos parisienses, a BHV.  Nunca tinha ido, sempre ouvi falar, mas me impressionei – é melhor do que esperava! Me encantei com essa loja que já virou parada obrigatória pra mim agora! No subsolo você encontra TUDO para sua casa, e a seção de papelaria e cozinha é fantástica! A loja tem vários restaurantes e o rooftop bar Le Perchoir é point de Happy Hour e super badalado. Além disso, a BHV ainda oferece aulas de culinária e diversos workshops. É o paraíso dos scrapbooks, arts & crafts e DIY (“do it yourself”)!! Pirei (pra variar hahaha)!!

 

 

Depois de passar um belo tempo na BHV eu terminei meu dia fazendo uma das coisas mais turistas ever, mas que até então nunca tinha feito – subi até o topo do Arc de Triomphe! Tudo foi estrategicamente planejado (óbvio hahaha) e eu assisti ao pôr do sol com uma das vistas mais lindas e privilegiadas de Paris! Recomendo MUITO! Imagino que a vista deve ser linda a qualquer momento do dia, mas acho que um sunset deixa tudo mais bonito! O acesso à base do arco é feito por uma passagem subterrânea na Champs-Elysées. O acesso é gratuito, mas se você quiser subir até o topo é necessário comprar um ingresso. É bem cansativo, são 280 degraus, mas a vista compensa!

 

 

Antes do jantar fui encontrar um amigo para drinks no Manko. O bar-restaurante-cabaré peruviano é super cool, e me lembrou o restaurante Coya de Londres! Mesmo estilo de decoração, com tons turquesas! O local é super badalado, é praticamente impossível conseguir uma reserva em cima da hora para jantar mas vale a pena tentar! Vá conhecer nem que seja para tomar um drink como eu fui. Depois do jantar, ele vira uma balada/cabaré! É um dos hotspots do momento. Fica na Avenue Montaigne, no mesmo prédio que a Maison Blanche.

 

 

O jantar foi no Monsieur Bleu, no Palais de Tokyo, um restaurante super concorrido e must go. Diferente do Taokan, por exemplo, o lugar é bem mais badalado e fica aberto até mais tarde então não tem problema em fazer uma reserva para 10 PM. O restaurante é perfeito para quem gosta de comida boa e gente bonita! Os “nems de poulet” são muitooo bons!  Com uma localização invejável, ele tem uma vista top da Tour Eiffel e animados  after hours com DJs aos finais de semana. Reserve com antecedência, e se estiver calor tente uma mesa no maravilhoso terraço!

 

 

DAY 7

 

Meu penúltimo dia foi praticamente dedicado ao casamento de uma das minhas melhores amigas de infância, a Marie, motivo pelo qual viajei à Paris no primeiro lugar kkkk. Eu fui madrinha e às 11 AM teve a cerimônia religiosa na Basilique de Saint Clotilde em St Germain, uma das mais antigas de Paris. Foi muito bonito! A cerimônia foi celebrada por um padre inglês e francês, e durou aproximadamente 1h30 com direito a muitos momentos marcantes. Na saída os noivos foram embora em um tradicional black cab londrino, já que o noivo é Inglês e ambos moram em Londres. Achei o máximo e super original! Após a cerimônia fui encontrar uma amiga e almoçamos em um restaurante pequeno chamado Coffee To Go, do lado da casa dela no 16ème. O lugar é uma graça, bem simples, e serve comida orgânica e saudável, tudo feito na hora – pães, sucos naturais, etc. Mas não se enganem! hahaha Esse restaurante serve um hambúrguer de matar!!! kkkk O resto da tarde ficamos botando o papo em dia na casa dela e depois voltei para o hotel para começar a me arrumar para a continuação do casamento, marcada para 20h!

A recepção com traje black-tie foi no majestoso Palais Garnier, a famosa Ópera de Paris. Que lugar LINDO e com a decoração do casamento ficou mais espetacular do que já é! Quem já visitou a Opera House de Paris sabe do que estou falando!! Foi a primeira vez desde 1874 que a Ópera fechou para um casamento. A Marie é artista plástica e foi ela que criou e montou as flores de papel que enfeitaram toda escadaria do Palais Garnier, dando um toque moderno e tropical! Estava lindo demais! A iluminação toda rosa deixou o ambiente ainda mais charmoso! Seguindo a tradição francesa, teve o cortège seguido de um coquetel. Um cortège é quando os noivos “entram” na festa acompanhados dos padrinhos, e nesse caso, subimos a icônica escadaria. O coquetel foi muito especial e diferente, com a soprano da Ópera de Berlim cantando bem na nossa frente músicas clássicas e românticas. Indescritível e de arrepiar!

 

O jantar sentado foi com lugares marcados, um prato melhor que o outro, unindo a culinária francesa com a brasileira. Durante, tiveram várias atrações como os discursos de alguns padrinhos, ópera, Glória Maria cantando “A Voz do Morro” e terminou com o grupo Olodum, que puxou todos os convidados para o outro salão onde rolou a festa! O bolo foi uma atração à parte – um bolo de mil folhas com uma escultura gigante de açúcar! Dois DJs animaram a festa e amei que distribuíram chinelinhos de hotel com as iniciais dos noivos para as convidadas!! Muito mais divertido que havaians, não acham?! hahaha Fora o conforto! kkk Também tinha uma tela gigante em branco com um monte de crayons coloridos para cada convidado assinar, desenhar e escrever uma mensagem aos noivos! Me manchei toda hahaha Resumindo, o casamento foi demais, sem dúvida foi um dos casamento mais lindos que já fui na vida! Foi lindo e ficará pra sempre na minha memória!

 

 

DAY 8

 

O dia foi praticamente nulo, pois acordei bem tarde e ainda tive que fazer mala! Fui para o brunch oferecido pelos recém-casados no Cercle de L’Union Interraillé na Faubourg – Saint Honoré! Depois passei no hotel apenas para buscar minhas malas e fui direto para o aeroporto pegar meu vôo para Milão!

 

 

« DICAS EXTRAS »

O restaurante e bar L’Oiseau Blanc, no sexto andar do Peninsula Hotel, também é point! Faz as vezes de restaurante e bar ao mesmo tempo. Tem um terraço gostoso perfeito para fazer um happy hour e tomar um drink. O terraço panorâmico proporciona uma vista espetacular de Paris de tirar o fôlego. O restaurante também é ótimo, e abre para o almoço e o jantar. Lembra o restaurante Kong um pouco!

 

 

O restaurante japonês Orient Extrême é uma excelente opção para o almoço para aqueles que querem variar um pouco e fugir do L’Avenue, que apesar de excelente, não deixa de ser cliché. Ele fica na Rue Bayard do lado da boutique da Chanel na Avenue Montaigne. Tome um drink no chic e glamuroso Yeeels, um restaurante-bar-club localizado no famoso “Triangle D’Or” de Paris na Avenue George V. Dividido em dois andares, o local conta com uma decoração moderna e tem um belo terraço. O restaurante é super badalado e cheio de gente bonita, perfeito para quem procura um jantar animado, e a partir de uma certa hora a música aumenta e as pessoas começam a dançar em volta do bar.

 

 

Seguindo a linha de jantar animado, o restaurante de tapas La Mangerie e o La Petite Mangerie no Marais, o super hypado Ferdi, e o Victoria 1836, são super badalados e perfeitos para colocar você em um party mood! A comida também é ótima. O Ferdi é super pequeno mas muito frequentado por celebridades durantes as semanas de moda. O Victoria 1836 é o novo restaurante dentro do reformado club L’Arc. O novo bar Andy Wahloo no Marais é super simpático e tem um ar meio vintage! No cardápio, petiscos e uma extensa lista de drinks! Para os que gostam de sair, nada mudou – a Raspoutine e a L’Arc (toda reformada depois do incêndio) continuam sendo as baladas da vez!

 

 

Related Posts

Solicitação de reserva

Você optou por receber informações sobre esta viagem

URL:

Voltar