DIdi Krepinsk

Reserve Aqui09/08/2017

No quarto dia, fizemos o check-out do L’AND Vineyards hotel pela manhã e saímos sem pressa em direção à Praia da Comporta. A nossa ideia era conhecer a Comporta, dar uma volta e almoçar por lá antes de seguir para Lisboa, onde ficaríamos as próximas quatro noites! Comporta é uma pequena vila na costa oeste de Portugal, no município de Alcácer, localizado na base da península de Tróia, ao longo dos limites da Reserva Natural do Estuário do Sado. Ainda parte da região do Alentejo, a Comporta fica a cerca de uma hora de carro de Lisboa, então por isso que resolvemos incluir o tão falado local no nosso percurso!

Praia da Comporta - Portugal

Primeiramente, é importante explicar que quando falamos na Comporta, não estamos falando só do vilarejo ou da praia, e sim de toda região ao redor! A Herdade da Comporta cobre uma área de aproximadamente 12.500 hectares e inclui sete vilas diferentes: Pego, Carvalhal, Brejos, Torre, Possanco, Carrasqueira e Comporta. O litoral dessa área toda é muito encantador! Obviamente não tivemos muito tempo, mas é possível fazer um monte de atividades nessa região, como “bird watching” (aqui tem flamingos!) ou observar os golfinhos do Sado.

Comporta é a terra dos arrozais! Agricultores de arroz estiveram na Comporta desde o início dos tempos, assim como os pescadores e os fabricantes de sal. Aqui você encontra os maiores campos de arroz de Portugal, que se estendem ao longo da costa, protegidos pelas dunas de areia. Mas não deixe todo esse lado “rústico” te enganar! De uns tempos pra cá, Comporta entrou no radar e caiu nas graças de Europeus bem nascidos. Aqui você encontra propriedades lindíssimas, quase escondidas entre as paisagens. A Comporta é super bem frequentada durante o verão e na minha opinião já entrou na lista global de hotspots de praia!

Para chergar lá, usamos o aplicativo Waze que nos levou por uma estradinha super linda e cênica! A estrada devia ser secundária porque estava vazia. Passamos por centenas de sobreiros (a árvore que produz a cortiça), e aos poucos a paisagem foi mudando. Ao invés de sobreiros, passamos a ver imensos ninhos de cegonhas pela estrada! Acho que vimos pelo menos uns 50, sem brincadeira! Alguns ninhos ainda tinham duas cegonhas em cima, muito fofo! Chegando à Comporta, passamos a ver grandes arrozais e campos arenosos! A vila de Comporta é bem pequena, porém charmosa, e então vem a praia – e que praia!!

Chegamos na Praia da Comporta e paramos o carro no estacionamento pago. Caso não queira pagar, você pode parar logo na entrada – não tem erro, tem um monte de carro estacionados, o difícil vai ser achar uma vaga perto! Se você não se importar em pagar, vale a pena, pois o estacionamento além de estar logo na entrada da praia, também possui várias pérgolas que fazem sombra nos carros, protegendo do sol. Para acessar a praia, é preciso caminhar por um longo deck de madeira em cima das dunas. Não demora muito para perceber a inevitável semelhança com as praias de Jose Ignacio no Uruguai e Montauk nos Hamptons!

Para confundir ainda mais, a praia ainda tem um “que” de Tulum – aqui você encontra redes e camas de sol brancas no mesmo estilo de lá! A cor da água também remete um pouco ao mar do Caribe. A praia é lindíssima, larga, do tipo “praião” mesmo. A areia é super fina, o mar transparente, e a qualidade da água é excelente. Mas sabe qual é a melhor parte?! A praia não estava lotada! Considerando que eu estava lá num domingo, no meio de julho, no auge das férias de verão, tinha pouca gente! Imagina que delícia que não deve ser essa praia em junho ou em setembro?! Pra mim isso é uma das vantagens daqui! Não sei vocês, mas eu odeio praia entupida de gente!!

É claro que a maioria das pessoas trazem suas próprias cadeiras e tralhas de praia kkk, mas é possível também alugar cadeiras ou camas no sol se desejar. O foco é a praia, mas além disso, você também encontra quiosques vendendo bebidas e sanduíches, como o Mosquito Bar, além de dois principais restaurantes: Ilha do Arroz e Comporta Café. O Comporta Café é um restaurante com ambiente familiar e descontraído, com excelente serviço e música ambiente top. No cardápio você encontra pratos tradicionais portugueses além de opções internacionais. Na praia eles possuem redes e pufes também que são perfeitos para relaxar no final do dia e tomar sunset drinks 

Situado sobre as dunas, com ambiente relaxante e música ambiente, o restaurante Ilha do Arroz é descontraído e convida aos petiscos e drinks, sem horários rígidos. A especialidade da casa é o arroz, como o próprio nome indica. No terraço ensolarado você encontra um lounge com enormes pufes coloridos com vista para o mar. A parte do restaurante também é bem agradável, com mesas na parte externa (com sombra) ou interna, atrás de grandes janelas de vidro. Esse é o lugar ideal para comer sem pressa e ficar horas afora no lounge curtindo. A gente adorou!

A baía da região é imensa com 12 km de areia ininterrupta. A única coisa que muda é o nome das praias, situadas uma ao lado da outra. A próxima praia que conhecemos foi a lindíssima Praia do Pego. Por estar um pouco mais distante da vilazinha de Comporta, ela é um pouco mais calma e tem menos gente ainda. Essa praia é cada vez mais procurada pela sua beleza selvagem, mas a infraestrutura também não deixa a desejar!

Almoçamos por aqui no badalado restaurante Sal, eleito em 2015 o melhor bar de praia do mundo pelos leitores da Condé Nast Traveler. De ambiente simples e descontraído, o lugar foi construído em cima de um areal imenso. Bem concorrido durante o verão, é preciso reservar antes – aproveita e pede uma mesa no terraço, que possui uma vista incrível da praia e do mar! Nós sentamos no terraço e pedimos uma “sangria rosé” para nos refrescar! Tudo aqui é uma delícia – a vista, a bebida e a comida! A especialidade da casa é frutos do mar, então os peixes são sempre uma boa pedida. De entrada pedimos uma porção de “lula a dorê” e “amêijoas à Bulhão Pato”. As amêijoas estavam fenomenais, uma das melhores que já comi!! No final da tarde começou a esfriar do nada, mas os garçons prontamente entregaram umas mantinhas para se cobrir. Do lado de fora, na praia, você encontra o Sal Café, perfeito para drinks e um almoço mais rápido e leve.

Depois do almoço, por volta das 16h30, seguimos para Lisboa de carro. Pegamos zero trânsito, incrível a tranquilidade. Ahh que bom seria se fosse assim em São Paulo né?! Hahaha. Como passamos apenas o dia, não tivemos tempo de ver tudo. Queríamos chegar em Lisboa no final da tarde, a tempo do jantar, e com um tempinho para fazer o check-in no hotel e relaxar um pouco antes disso. Portanto, não tivemos tempo de visitar a praia vizinha, a Praia do Carvalhal. Imagino que seja tão linda quanto as outras e ainda mais vazia! Lá você encontra o Restaurante dos Pescadores, conhecido por servir o melhor peixe fresco da região! Também não fomos conferir o Cais Palafítico da Carrasqueira, pois a graça aqui é ir para assistir o magnífico pôr do sol, então resolvemos que não valia a pena ir de dia! Ficou para uma próxima! Kkk. Eu inclusive quero voltar para a Comporta com calma e me hospedar no Hotel Sublime. O hotel pertence aos mesmos donos do L’AND Vineyards e já ouvi falar muito bem dele! Aliás, conhecemos um casal da Arábia Saudita durante o almoço que estavam hospedados lá e rasgaram elogios! Para quem for ficar mais tempo, vale conferir a Adega da Comporta e o restaurante Museu do Arroz!

Sublime Hotel - Comporta, Portugal

Related Posts

Solicitação de reserva

Você optou por receber informações sobre esta viagem

URL:

Voltar